COMPARTILHAR

Conceito de mobilidade será redefinida, afima a marca

Quando o carro autônomo for uma realidade, as pessoas vão querer otimizar o tempo a bordo para o cumprimento de tarefas. Hoje a Audi pesquisa sobre o tema em parceria com o Fraunhofer Institute for Industrial Engineering IAO.

Em um equipamento que simula a condução no futuro, técnicos investigam, por exemplo, como o interior do carro pode se tornar um local de trabalho. As descobertas ajudarão a empresa a criar para cada usuário um interior personalizado. O estudo integra o projeto Audi “25th Hour”.

“Quando os carros não tiverem mais um volante, a mobilidade premium também será redefinida. No futuro, as pessoas que viajarem de um ponto a outro poderão navegar na internet, brincar com seus filhos ou trabalhar”, afirma Melanie Goldmann, Head de Cultura e Tendências da Comunicação da Audi. “Com os especialistas do Instituto Fraunhofer, queremos descobrir o que é importante na otimização do tempo quando se está em um carro autônomo.”

Especialmente para o experimento no Instituto Fraunhofer, em Stuttgart, a Audi construiu um simulador que reproduz a condução autônoma, com um interior variável e sem volante. As projeções simulam a sensação de se estar trafegando na cidade à noite. Por meio de displays, os pesquisadores podem introduzir distrações digitais, escurecer janelas ou mudar a cor da iluminação e os ruídos de fundo.

Estatísticas mostram que hoje em dia as pessoas passam uma média de 50 minutos por dia ao volante. No projeto “25th Hour”, a Audi estuda como esse tempo pode ser mais bem aproveitado dentro do carro autônomo. O projeto se baseia no pressuposto de que uma interface inteligente vai aprender sobre preferências individuais, adaptando-se de forma flexível ao usuário. Desta forma, os consumidores da Audi terão controle total de seu tempo, gerenciando-o de maneira mais inteligente.

Fonte: Carpress

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui